terça-feira, março 14, 2006

Um dia do diário de um guerreiro


Um dia do diário de um guerreiro

Juntos se puseram a orar
Pedindo a Deus Pai
Proteção lhes mandar
Soldados, euforia, ansiedade
Guerra quente, sem água fria
Comandantes atentos, prontos
Para mais uma arrojada missão
Partiram os bravos valentes
Sem conseqüentes Perigos à espera
Unidos todos marchavam
Por trilhas e favelas
O olhar do inimigo à espera
Em nosso ligeiro caminhar
Mais um dia a se passar
Minha mente vazia
Tomando conta do que não via
Meu irmão também fazia
Esperando o árduo momento
De ter que atirar
Na calada, em surdina
Entre tantos barracos,
Muitas esquinas
Lixos, bueiros, lodo em piscina
Botas molhadas, roupas suadas
O odor do suor já saía
Infiltrando em nossas narinas
Misturado ao fedor de fezes e urina
Acumulado com o fétido
Podre dos bichos que jazia
Atentos! muito cuidado
Quando uma porta se abria
Com a arma apontada
Muita segurança se fazia
A difícil caminhada
No morro da agonia
Subia e descia,
No ombro muita dor
Crianças chorando,
Cães ladravam no meio do lixo
Barulho na sujeira das latas vazias
Não acabava o tempo infinito
Lutando, evitando o erro de um susto
Para prevenir um futuro luto
Íamos nós, sob sol abrasador
Cada um guardando a sua dor
O capacete como ovo fritava
A cabeça que ali estava,
Não mais pensava
Somente se preocupava
No serviço bem prestado
Em favor da paz!
No meio do inferno,
Onde o bandido é rei
Dedo-duro não tem vez
Os peões não têm lei,
Somos todos odiados,
Mas mal ninguém fez
Queremos paz,
Queremos o bem
O trabalho termina
Mas teremos que voltar
Quando um novo dia raiar
Tudo pela pura e íntegra paz!
Ludiro
14/03/2006

Imagem - Obs: Capa do livro "República Negra" do Jornalista Luís Kawaguti

3 comentários:

Benvinda Palma disse...

Lindo seu diário, nobre poeta Ludiro! Real, humano, comovente! Difícil conter as lágrimas, difícil aceitar esta realidade que vocês, nossos irmãos queridos, enfrentam em campo de batalha! Que Deus envie para aí, uma força de paz de Anjos!
Carinhosamente
Benvinda Palma

Maria Angélica disse...

É uma denúncia em forma de desabafo. Como você é bom nisso que faz! São poucos os que vêem a poesia num ambiente de ódio e busca de paz.
É incrível!

Douglas disse...

Meu amigo guerreiro poeta,nesta poesia vc conseguiu retratar essa triste realizada que enfrentamos aqui no Haiti, de uma forma muito poética... Parabens!!