domingo, março 05, 2006

Menino de rua

Menino de Rua

Olhos arregalados
Roupas sujas e rasgadas
Com os pés descalços
Dorme nas calçadas
No coração uma esperança
De tudo melhorar
Não volta pra sua casa
Por que não quer mais apanhar
Mamãe já se foi
Papai não há
Pobre garoto
Que fazes na rua
Deverias ir estudar
Mas o menino não tem o que comer
Não tem onde morar
Pra conseguir alguma coisa
Tem que se virar
Limpar para-brisas
Fazer acrobacias
Mas ninguém quer ajudar
Ultrajado e discriminado
Muitas vezes tem que roubar
O que lhe aparece de graça
Vem pra lhe matar
Drogas e bandidos
Tudo para marginalizar
Na pele cicatrizes de maltrato
No coração uma dor
Na cabeça a luta
Por que quer ser vencedor
Vencedor de cada dia
Vencedor de cada dor
Dor insuportável do preconceito
Discriminação da falta de amor
Queria ser criança
Brincar de escorregador
Ter uma bicicleta, um carrinho
Ter muito carinho, ter muito amor
Por que o menino é uma criança
Ele é sonhador
Mas quando olha pra si
Vê o que restou
Gostaria de ser adotado
Ter casa, papai, mamãe, vovó e vovô
Poder ir pra escola e ter um professor
Aprender tudo de bom da vida
E no futuro ser um bom senhor
A calçada é seu leito
O jornal seu cobertor
Pra poder sobreviver
Se faz até de cantor
Sempre com um sorriso no rosto
Pra esconder as lágrimas, suor e a dor
Oh sorriso inocente de um patriota
Sorriso infanto juvenil
Jamais deverias estar nas ruas
Pois tu és filho do Brasil!!
Ludiro
11/02/2006

2 comentários:

Benvinda Palma disse...

Grande poeta Ludiro!
Tu és sensível, humano, GENTE! Seus versos emocionam,cativam, conquistam, extasiam! Parabéns!
Deus te abençôe e ilumine sempre seus pensamentos, trazendo-te muita inspiração!
Carinhosamente

Benvinda Palma

PS: Fiquei muito sensibilizada e agradecida pela honra de poder abrir o seu blog!

Cassia Dias disse...

Antes de ser filho do Brasi,ele é filho de uma mulher que vai continuar parindo e abandonando os seus filhos.Linda poesia!!! Agradeço a visita.Cassia Dias