segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Caminhada

Caminhada
Meus passos
Deixo rastros
Deixo suor
Minhas lagrimas
Que um dia
Livres sairam
Cortaram meu rosto

Pó da estrada
Levanta e abaixa
A cada passada
Sandálias sujas
Mãos imundas
Pelo trabalho
Da longa caminhada

Traços ligeiros
As vezes lentos
Olhando aos lados
Para pisar sem pecados
Pobres coitados
Apareciam repentinamente
E na minha mente

Que faço agora
Depois da Aurora
Olho pra estrada
Já vou embora
Com minha sacola
Levando a boia de cada dia
Vou chegar com alegria

Pesames ao que ficou pra traz
Não quero mais
Não vou voltar
Tenho que caminhar
Continuar pra ter o que falar
Quando no final chegar
Vou descansar
Ludiro
05/02/2006
Poesia homenageada na comunidade do Orkut Sociedade dos Pássaros-Poétas
Fórun "Poemas-destaque do dia" (11/03/2006)
Link fórun da SPP: Poesias destaque do dia

Um comentário:

Lyah Turek disse...

Muito lindo, gostei muito do modo com que escreve seus poemas.