sexta-feira, abril 07, 2006

Descrever escrevendo

Descrever escrevendo

Não sei como dizer
Vou escrever
Na folha em branco
Na parede
Bem no canto
Em traços leves
Soltos e belos
Descrevendo
Vou aonde puder
Escrevo
O que vejo
Nos olhos
Do pensamento
Escrevo com sentimentos
O que o coração manda
Neste exato momento
E em todos vindouros
Riscarei, sujarei
Emaranhados de rabiscos
Com caneta
Lápis
Pincel
Com saliva
Se não puder
Com o sangue
Se precisar
Mas vou expressar
Do jeito conveniente
Convincente
Com amor
Ou a força
E bravura
Das palavras
Pulsando em minha veia
Elas que incendeiam
O calor desta emoção
Descrevo escrevendo
Nas linhas dos sentimentos
No branco da minha memória
Na falha da história
No ritmo de um pulsar
Até que pare
Este movimente
Soletrante do coração
No findar das forças das minhas mãos
Onde meus passos encadeirar
Nem sequer puder falar
Nem gesticular
E assim
Que não puder mais escrever
Levarei o que sobrar
Comigo
Alegrarei os anjos com elas
Ludiro
05/04/2006

Um comentário:

Douglas Gomes disse...

Meu caro amigo, a cada dia quse passa, sua inpiração, é ainda mais dispertada, e nessa poesia, descreveu escrevendo, de varias varias maneiras a sua inspiração poética... Parabéns!!