sexta-feira, novembro 03, 2006

Briga de dedos

Briga de dedos

Cada pincelada
com os dedos,
canetas, pincéis
e nada mais
desta vida ingrata,
Retrata
um povo que vive no [NÃO!]
sem dinheiro,
nem emprego,
muito menos profissão!
Minha mão...
galgando se vai,
à espreita,
na ponta de uma caneta,
nas cerdas do pincel...
argumentando
o quê?
Meus pés vagam
semelhantes a ela:
Sem destino,
fantasiando
sem solução.
Apenas vou
ou morro!
Ludiro
01/11/2006

Um comentário:

além mar peixe voador disse...

Lindo poema amigo poeta Ludiro,
parabéns !
Sempre uma nova inspiração visitar-te.
Grata por momentos de tamanha qualidade < intensidade.
tua leitora e amiga,
virgínia
visite-me

http://alemmarpeixevoador.blogspot.com/