quinta-feira, novembro 23, 2006

Antiquário

Antiquário
Navegante de um ponteiro velho
Meus olhos circundam os segundos
do antiquado relógio de parede
à espera do amor passado
no futuro próximo.
Ludiro
19/06/2006

3 comentários:

Kadu disse...

Este poema me fez lembrar de quando fui visitar um museu uns anos atrás e lá encontrei um velho relógio de parede onde funcionava ainda os ponteiros, inclusive o do segundos, fiquei contando alguns dos passos do grande ponteiro de segundo e viajando, imaginando as salas que ele ornamentou, os namoradas preocupadas com a hora enquanto no sofa de mãos dadas ao enamorado e assim me trouxe em memória este teu novo poema. Muito bom mesmo véio amigo!!
Grande abraço e continue escrevendo assim, sempre gostei de suas palavras e agora os seus poemas!
Gde, fique com Deus e sucesso procê!!
Carlos

Ana Joaquina disse...

Lindos versos, querido poeta! Uma divina inspiração poética... Beijos.

MariSaes disse...

Lindos versos...belo poeta! Abraço carioca,