sábado, outubro 21, 2006

Pelo dia do Poeta - 20/10


Bom dia!
Hoje é dia do Poeta

e poetando vamos vivendo,
vivemos o sonho
Sonhando, fantasiamos as letras
Adocicamos as palavras
vivendo a poesia
Hoje é dia do poeta

E viva a poesia
A alma do poeta
A pura alegria
Vivemos fantasiando
Fantasiando a poesia!
Ludiro
20/10/2006


Poeta

Com alegria ou tristeza
Transforma tudo em beleza
Transcende o nosso sofrer
Pinta com belas palavras
Os quadros que adornam a vida
A música que embala os sonhos
A magia que faz reviver!

-- Benvinda Palma

arquivo x


poeta
é o agente das letras
com pés na Terra
e a cabeça em outro planeta

repleta
de et ceteras

-- valéria tarelho

O Poeta

A mágica do cérebro, “D’ alma e da ligação maior, Menor”.
Do mistério da mulher,
Dos desejos infinitos do homem,
Dos grandes mestres, a filosofar.
Pelas lagrimas da saudade, de amadas deusas,
Musas, e Apolos, sonhos, primordialmente superior a vontade.
Espírito de ouvinte, respeito e obediência a
Exaltação mais intima do ser.
Heróis, sonhos,
Sábios, poderes mágicos, flores, luzes, encanto,
Tudo conspirando e criando o
Poeta

-- Dora Dimolitsas

Consagrando-te
Ser poeta
é saber que não existe
encarnado
na terra
o seu ideal
mas poder
inventá-lo
alegre
ou triste
tão humano
que nem pareça
irreal
Ser poeta
é ter sempre
a pena em riste
molhada de riso
ou pranto
amor fatal
Que cria
teima
sonha
imagina
e insiste
que a musa
que o inspira
é sem igual
Sinto
que encontrei
um mundo
ausente
forjar
etéreo sonho
da ideal criação
Nascida
no crisol
da minha mente
divina luz
imagem
da minha ilusão
Em versos
cinzelei-te
e revelei-me
E reverente
o assunto
eu te consagro
em oração
By Maha®©

O poeta e a musa
-- Fatima Dannemann

O poeta canta sua musa
como se buscasse
um sonho
Para o poeta,
a musa
é um ideal
de ser humano
inalcansável.
O poeta considera
sua musa
um ser de sonho.
E se desperta
do clima onírico,
rompe-se a miragem,
dissolvem-se os versos,
acaba o encanto.



poeta é um fingidor
-- Fernando Pessoa

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.


Ser poeta
-- Florbela Espanca

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor
É não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!
É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!
E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!



Depois de tantas poesias dedicadas ao Dia Internacional do Poeta e da Poesia, restou-me pensar no licor que o Bacca esta nos preparando para o XV Congresso Brasileiro de Poesia, um licor cheio de magias poeticas, pois o poeta Bacca preparou num modo que só dá poesia!

Leia no link abaixo:
Colher Pitangas

Licor de Pitanga



3 comentários:

Andréa Motta disse...

belissima homenagem!!
Parabéns aos autores contemporraneos e aos consagrados!
beijos

Benvinda Palma disse...

Lu, bela homenagem! Obrigada por seu carinho...por sua amizade....por ser tão especial assim!

Beijos

Bem-te-vi

vαℓéя!α tαяeℓhσ disse...

Valeu!! Nada como estar em boa companhia + poesia e pitangas!

~> ontem, por uma feliz coincidência, comprei geléia de pitanga ;)

Beijo!