quarta-feira, outubro 18, 2006

Geada

Geada

O vento bradando
Livre e solto
em seus cabelos.
O frio e o leve cheiro
das últimas folhas
dos belos platanus
que tocam o chão
com plena ternura,
em contraste
com a alva geada campestre.
Ludiro
13/09/2006

Um comentário:

vαℓéя!α tαяeℓhσ disse...

oxigelo
valéria tarelho

habito
o pólo
morte

vivo
no nicho
abaixo
de zelo

respiro
o gelo
dos teus gestos

neve[r]
neve[r]
neve[r]

nunca
uma tépida
chuva
de apelos

jamais
um tímido
choque

de peles


~> putz, desculpe o improviso mas agora foi..rss.
nada a ver com sua lúdica-lírica-linda geada, mas o frio foi um tanto quanto ins-pirador!

beijo!