quinta-feira, junho 29, 2006

Transporte

Transporte
Lata
Plena de água
Carregada sobre a cabeça
Pintada por cabelos brancos,
Onde a água escorre
Lavando sua fronte,
Refletindo de longe
A luz do sol
Que em seu rosto
Presenteia a cegueira.
Mãos calejadas,
Pernas esgueiras,
Pés rachados.
Inchados.
A cada passo,
Um pouco de poeira
Na bainha do seu vestido,
Sujo, surrado e rasgado.
Uma infeliz trabalhadora
Que passa
Levando
A água sobre sua carcaça,
No sustento de pequenos alentos,
dentro de um barraco,
Desidratados,
Sem alimento!
Ludiro
07/05/2006

5 comentários:

Benvinda Palma disse...

Pássaro Ludiro

Me encanta este teu jeito lindo e enternecedor de descrever as situações simples, do cotidiano... pura ternura!

Abraços poéticos

Bem-te-vi

JB disse...

esta musicalidade dos seus poemas é extraordinária. gosto muito
1 abç
JB

Valdevinoxis disse...

Transporte
O que dizer senão: Excelente.

Valdevinoxis

Stella disse...

Muito bom....
Imaginei tanta coisa lendo-te... viajei em pensamentos...

beijinhos

Tália disse...

As tuas palavras transportam-nos para um mundo tão real...
Lindo poema.
Beijinhos
Tália