terça-feira, maio 02, 2006

Poemeto da Chuva

Chuva
A chuva
Que surra
Meu rosto
Faz-me lembrar
Quando brincava
Em suas poças
Ludiro
02/05/2006

9 comentários:

Jeferson Leandro Milani disse...

Olá Ludiro! Adorei as palavras em gotas que se precipitaram sobre essa poça poética, suave como uma criança a brincar na chuva!
Belo poemeto! Grande abraço!

http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=6525

Jeferson Leandro Milani disse...

Uma ressalva: suave a imagem da poça nostalgica, não a da chuva que surra e faz com que sinta saudades dos tempos de brincar...

Abraço!

Diana Pilatti disse...

Ludiro, vc consegue transformar coisas tão simples da dia-a-dia, como a água, em elementos tão fortes e cheio de vida....

Jacira disse...

VC é o mesmo da Literatura Clandestina?

Mariaangélica disse...

Perfeito! Suas poças d'água lembram, também, a minha infância; lindo e escrito de uma forma que se pode criar a imagem da criança brincando nas poças.
Você está cada dia melhor e eu estou repetitiva. Hehehehe!!!

Margarete disse...

Um texto verdadeiramente subjectivo... Resta-me na imaginação tentar alcançar o conteúdo enorme das suas palavras...

Dá que pensar, dá que sentir...

... simples. Gostei!

Liz / Falando de tudo! disse...

Liz / Falando de tudo! said...

Quem nunca brincou em poças de "lama" da chuva quando pequeno? Nao tinha coisa mais divertida, nem mais interditada por minha mãe, mas a gente sempre dava um jeitinho...rs...rs...
Lindo!
Obrigada pela visita e volte!
3/2/08 12:01

papagueno disse...

papagueno said...

Eu adorava brincar nas poças de lama, para desespero da minha avó.
Bjks
3/2/08 13:53

Fatyly disse...

Fatyly said...

Ainda hoje adoro andar nas poças da chuva:)

Gostei muito!

Beijos
3/2/08 17:23