domingo, fevereiro 04, 2007

Favo de mel

Favo de mel

Meus lábios ardentes
Sedentos
Devoram
Deliciosa(mente)
toda esta doçura--
o sabor da tua
Saliva quente.
Bebida dos deuses
Essência de Afrodite
Pura embriaguez.
Doce carne nua
Trago-te o céu
em minhas asas
Cubro-te com meu véu
Levo-te à lua
que se transfigura
Ao esplendor do amor
Totalmente teu.
Inteiramente minha
Trago-te por inteira
No coração,
na carne
nas minhas veias!
Aspiro-te os poros
sugo tua última gota--
Favo de mel
Perco-me em teu prazer
Sorvo o néctar do delírio
e entrego-me a este deleite
num gozo adocicado.
-- Ludiro / Benvinda Palma

3 comentários:

ana carla disse...

amei esse poema...
muito lindo mesmo.....
se continuar assim vai virar um
manoel bandeira quem sabe...
hehehe...
te amo muito...
bjooo da mana
que te ama de mais....

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Sinto que a amizade vai nascendo,
Cada palavra que me oferece é uma dádiva de inspiração, podemos sentir de maneira diferente, ainda bem mas como sabe bem sermos lidos e comentados por alguém.
É isso que faz a grande diferença sermos unos perante tanta subtileza.
Beijinhos
Obrigada
ConceiçãoB
Uma boa semana
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Paulo Osrevni disse...

Um amigo me indicou o seu blog. Disse que eu gostaria muito: ele acertou. Os poemas são de primeira, não tenho dúvidas de que voltarei muitas vezes! Parabéns!

Paulo.